Av. dos Estados, 5001 - Bangu - Santo André - SP. 09210-580
contato@seivajr.com

Resíduos sólidos: como o descarte de máscaras afetou no meio ambiente e no nosso lixo

Resíduos sólidos: como o descarte de máscaras afetou no meio ambiente e no nosso lixo

 

Máscaras recolhidas em Hong Gong em maioAnthony Wallace/AFP 

Quem nunca esqueceu a máscara quando saiu de casa e teve que voltar correndo pra buscar? Não é fácil se acostumar com uma nova realidade, porém temos que nos conscientizar da importância da utilização de máscaras para diminuir a contaminação do Sars-Cov-2. Mas uma coisa tão importante quanto utilizar máscaras é saber descartá-las corretamente.  

A maioria das máscaras descartáveis são feitas de TNT, material 100% proveniente do polipropileno, que demora de 6 meses a 1 ano para se decompor, devido ao seu processo de fabricação. Mas há também máscaras feitas de tecidos sintéticos e plásticos que demoram de 100 a 400 anos para se decompor. Ou seja, se descartadas de forma inadequada podem gerar impactos negativos ao meio ambiente por muitos anos.  

Um exemplo disso é a grande quantidade de máscaras encontradas nas areias no litoral norte de São Paulo, um fato que já vinha ocorrendo desde o início da pandemia, mas se agravou pelo fato dos turistas terem voltado as praias, principalmente no feriado prolongado do dia 7 de setembro. A consequência do descarte inadequado de máscaras de proteção está na possível disseminação do vírus pelo contato de outras pessoas com o objeto contaminado, além do impacto para o meio ambiente, contaminação de recursos hídricos, prejudicando a qualidade da água e dos organismos que ali vivem em especial animais marinhos, que acabam engolindo tais resíduos e morrendo, como aconteceu com um pinguim encontrado na praia de Juquehy nesse mesmo feriado. 

As máscaras usadas devem ser jogadas no lixo comum, de preferência no banheiro de sua casa, e nunca no lixo reciclável ou nas ruas (aliás nenhum tipo de resíduo deve ser jogado no chão, beleza?) e caso precise jogar em lixo público lembre-se de colocar dentro de um saco plástico e amarrá-lo. Assim evitamos que o vírus se espalhe para coletores de lixo e funcionários de cooperativas de reciclagem.  

O ideal é que utilizemos máscaras de tecido, que são reutilizáveis e deixar máscaras e luvas descartáveis para os profissionais da saúde, que estão em contato direto com o novo Coronavírus, e é importante lembrar que em hospitais todo material de proteção utilizado é descartado em lixos específicos.  

Mas não se esqueça, mesmo as máscaras de tecido devem ser trocadas com frequência (leve outras peças quando for sair de casa por muito tempo) e higienizadas de maneira correta. Uma dica de limpeza eficiente é deixar de molho por 30 minutos em solução de água sanitária (1 parte de água sanitária para 50 de água), depois lavá-las com água e sabão, deixar secar e passar com ferro.  

Vamos cuidar de nós, dos outros e do nosso planeta? 

 

FONTES: 

https://saude.rs.gov.br/saiba-como-descartar-e-higienizar-corretamente-as-mascaras-de-protecao 

https://g1.globo.com/jornal-nacional/noticia/2020/04/11/descarte-de-mascaras-exige-cuidados-especiais.ghtml 

https://deolhonofuturo.uninter.com/mascaras-e-luvas-impacto-ambiental/ 

https://www.pi.gov.br/noticias/professora-orienta-como-usar-e-fazer-o-descarte-correto-de-mascaras/#:~:text=A%20professora%20explica%2C%20ainda%2C%20sobre,400%20anos%20para%20se%20decompor. 

https://ciclovivo.com.br/planeta/meio-ambiente/pinguim-e-encontrado-com-mascara-no-estomago/ 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *